Contexto SAGRADAS ESCRITURAS, 09 de dezembro, 2018

Josua 24, Almeida 1850

Agora pois temei a JEOVAH, e servi-O em sinceridade e em verdade: e deitai fora aos deoses, aos quaes serviraõ vossos pais d'alem do rio e em Egypto, e servi a JEOVAH.
Porem se vos parece mal em vossos olhos, servir a JEOVAH, escolhei vos hoje a quem sirvais; ou aos deoses, aos quaes serviraõ vossos pais, que estavao d'alem do rio, ou aos deoses dos Amoreos, em cuja terra habitais: pois eu e minha casa serviremos a JEOVAH.
Então respondeo o povo, e disse: nunca nos aconteça, que deixemos a JEOVAH, para serviremos a outros deoses.
Porque JEOVAH he nosso DEOS, ELLE he o que nos fez subir a nós e a nossos paes a terra de Egypto, da casa de servidaõ: e o que tem feito estes grandes sinaes perante nossos olhos, e nos guardou por todo o caminho, que andamos, e entre todos os povos, por meyo dos quaes passámos.
E JEOVAH rempuxou perante nossa face a todas estas gentes, até a o Amoreo, morador da terra: tambem nos serviremos a JEOVAH, porquanto he nosso DEOS.
Entaõ Josua disse a o povo: naõ podereis servir a JEOVAH, porquanto he DEOS santo: he DEOS zeloso, que naõ perdoará vossa transgressaõ, nem vossos peccados.
Se deixardes a JEOVAH, e servirdes a deoses estranhos, entaõ se tornará, e vos fará mal, e consumir-vosha, depois de vos fazer bem.
Entaõ disse o povo a Josua: naõ; antes a JEOVAH serviremos.
E Josua disse ao povo: sois testimunhas contra vos mesmos, de que vos escolhestes a JEOVAH, para O servir: e disseraõ; somos testimunhas.
Deitai pois agora fóra a os deoses estranhos, que em meyo de vos ha: e inclinai vosso coraçaõ a JEOVAH DEOS de Israel.
E disse o povo a Josua: serviremos a JEOVAH nosso DEOS, e obedeceremos a Sua voz.

[55560]



Os erros na ou da Bíblia??!!


A língua portuguesa é de extrema singularidade quanto às suas expressões e colocações verbais e em especial na escrita.

Pois quê, aqui, quando dizemos sobre os erros que hipoteticamente dizem haver à Bíblia como Palavra de DEUS, devemos ater-nos quanto as expressões de:

- Erros NA Bíblia, ou, erros DA Bíblia.

Vamos então, discorrer, a estas pessoas cujas vidas são uma constante incógnita e em indagação, fazendo-lhes o favor de relacionar quais os erros que elas tanto procuram:

  • A Bíblia está CHEIA de erros
O primeiro erro foi quando Eva duvidou da Palavra de DEUS [Gênesis 3];
O segundo erro aconteceu quando Adão provou a corrupção de sua natureza [Romanos 5];
E assim erros e mais erros ainda estão sendo cometidos, porque as pessoas insistem em duvidar da Palavra de DEUS.

  • A Bíblia está CHEIA de contradições
Ela contradiz o orgulho e o preconceito;
Ela contradiz a lascívia e a desobediência;
Ela contradiz o seu pecado e o meu.

  • A Bíblia está CHEIA de falhas
Porque Ela é o relato de pessoas que falharam muitas vezes;
Assim foi com a falha de Adão [Gênesis 3];
Com a falha de Caim [Gênesis 4];
E a de Moisés [Números 20];
Bem como a falha de Davi [2Samuel 11];
As falhas de Salomão [1Reis 11], e a de muitos outros que também falharam.

Mas Ela é também o relato do Amor infalível de DEUS

  • DEUS não ESCREVEU a Bíblia
Para pessoas que querem jogar com as palavras;
Para aqueles que gostam de examinar o que é bom mas sem fazê-lo para o homem que não acredita porque não quer.

  • O homem moderno DESCARTOU os ensinamentos da Bíblia
Pelas mesmas razões que outros homens tem descartado através da historia por grande ignorância a Sua verdadeira mensagem e conteúdo;
Intransigente apatia em recusar considerar suas declarações;
Bem conhecidos pseudo-cientistas posando de críticos honestos;
Convicção secreta de que este Livro está certo e de que os homens estão errados.

  • Somente uma pessoa PRECONCEITUOSA acreditaria que:
Os ensinamentos bíblicos são passados e irracionais, sendo princípios arcaicos e sem propósito.

  • A Bíblia está cheia de discrepância e afirmações inaceitáveis:
Ela só poderia ser trabalho irrelevante e não inspirado de meros homens.

A Bíblia é, afinal, somente mais um LIVRO RELIGIOSO:
  • Para milhares que não se arriscam serem honestos consigo mesmos e com DEUS;
  • Para os que tem medo de aceitar o desafio do próprio DEUS a um exame honesto;
  • Para os que não querem examina-La a fundo porque Ela diz verdadeiramente como os homens são.

E você pode ENTENDER ou CONFIAR no que a Bíblia diz, a menos que você esteja disposto a considerar as evidências e encarar face a face o AUTOR!

Fiel e sistematicamente, por derradeiro, comprova-se que a Bíblia tendo sido escrita pelas mãos de homens, ao longo dos anos, Ela vem de forma leviana, herética e maléfica, sendo adulterada e assim ao "livro Bíblia" em suas milhares de traduções, homens religiosos amantes de si mesmos, larápios de entendimentos e da fé, usurpam e acrescentam crendices, sofismas, expressões dogmáticas, argumentos capciosos no intuito de enganar, e, porquanto, nunca e jamais podem adulterar à essência da Palavra de DEUS.

Sendo assim por final, afirmar em verdade, dos erros NA Bíblia, conforme tudo aqui relatado, ou seja, todos os erros que encontrados DA Bíblia são firmados única e exclusivamente oriundos dos homens.


Porque dELE e por ELE, e para ELE, são todas as coisas; glória pois, a DEUS eternamente;
Nos interesses da Igreja que CRISTO edificou. Amém.

Corroborando Portal Padom

[55160]
.


As traduções bíblicas


É verdade que a Bíblia foi mudada com o passar do tempo? 
Qual é a Bíblia mais fiel ao texto original em hebraico e grego que eu posso usar?


Já são muitas as traduções da Bíblia Sagrada em nosso idioma português brasileiro, não é verdade?! Mas dentre tantas, qual seria a melhor tradução da Bíblia evangélica?
Para você saber qual é a versão da Bíblia mais confiável e mais próxima dos idiomas originais em que foram escritas, terá que saber de onde cada uma delas foi traduzida, quem traduziu, como traduziu e quais os métodos utilizados em suas traduções.
Este estudo, vai te dar muitos detalhes sobre algumas traduções da Bíblia em português brasileiro. Portanto, se você está procurando por uma resposta definitiva sobre a tradução bíblica mais fiel ao original, aqui você vai tirar muitas conclusões.
Na primeira parte do estudo será abordado as fontes usadas para criar as traduções bíblicas que temos hoje em dia, e na segunda parte iremos abordar diversos versículos em cada uma delas para tirar a conclusão de qual seja (quem sabe) a melhor tradução da bíblia do mundo, ou pelo menos qual será a sua preferida.

Heresias ou apenas falhas dos copistas/escribas nas traduções da Bíblia Sagrada?
Você precisa saber de onde a Bíblia que está lendo foi traduzida! Existem muitas informações para compartilhar a respeito deste assunto.
São muitos acontecimentos ao longo da história, mas não me prenderei a eles com riqueza de detalhes para não alongar demais este estudo bíblico, mas serei breve em dizer algumas informações para despertar seu interesse para pesquisar em busca de mais conhecimentos.
Você poderá ver mais informações nos links das fontes de alguns sites ao longo do estudo e também no final dele.

Primeiro de tudo, você precisa saber mais sobre os manuscritos bíblicos originais e suas cópias
Manuscrito bíblico é o termo utilizado para referir-se a qualquer cópia feita a mão de um texto bíblico.
A palavra Bíblia vem do grego biblion (livro). Já a palavra manuscrito vem do latim manu (mão) e scriptum (escrito).
Manuscritos bíblicos variam grandemente em tamanho, indo desde pequeníssimos rolos de pergaminho contendo versos das escrituras judaicas (ver: Tefilin) até grandes códices poliglotas contendo tanto o Antigo Testamento (ou Tanakh) quanto o Novo Testamento, assim como textos não canônicos.
Fonte: Wikipedia.

Existem 2 grupos de manuscritos bíblicos do Novo Testamento que você precisa conhecer.
Um grupo de manuscritos chamado de Texto Majoritário (Também chamados de Textos Bizantinos ou Texto Recebido [do grego Textus Receptus] – são poucos os diferenciais entre estes), representam mais de 90% dos mais de 5000 manuscritos bíblicos do Novo Testamento grego.
Estes manuscritos tem quase 100% de seu conteúdo exatamente iguais.
Outros cerca de 5% são representados pelos textos chamados Alexandrinos (da Alexandria do Egito) ou ainda Textos Críticos, ou minoritários, que são os mais antigos, veremos mais informações abaixo.
Os manuscritos do Texto Recebido (majoritário) tratam-se de uma série de impressões em grego do Novo Testamento que serviram como base para algumas traduções da bíblia durante os séculos 16 a 19.
Alguns outros manuscritos do Texto Recebido são datados também do século 8 ao século 14 d.C.
Enquanto que os manuscritos do Texto Crítico (minoritário) são mais antigos, datados do século 2, 3 e 4 d.C. e possuem 4 grandes códices que serviram de base para algumas traduções da bíblia que temos hoje em dia, e que você verá mais adiante neste estudo.

Texto majoritário/recebido = a maior parte dos manuscritos bíblicos do Novo Testamento (mais de 90%).

Texto minoritário = a menor parte dos manuscritos bíblicos do Novo Testamento (em volta de 5%)
O grande questionamento por trás desses dois grupos de manuscritos é: quais seriam os manuscritos mais próximos do Novo Testamento original grego, os mais antigos (Texto Crítico) ou os que existem em maior quantidade (Texto Recebido)?
Não é tão fácil chegar a uma conclusão para responder essa pergunta, porém podemos comparar o conteúdo das traduções da Bíblia que temos hoje em dia, que são baseadas nestes 2 grupos de manuscritos, e chegar à nossa própria conclusão.
Você verá a comparação de versículos das versões KJF (King James Fiel), ARC (Almeida Revista e Corrigida), ACF (Almeida Corrigida Fiel), NVI (Nova Versão Internacional), NTLH (Nova Tradução para a Linguagem de Hoje), ARA (Almeida Revista e Atualizada), NAA (Nova Almeida Atualizada), KJA (King James Atualizada – não versão oficial) e TNM (Tradução do Novo Mundo – dos Testemunhas de Jeová) mais adiante. Por isso, se você usa uma dessas traduções bíblicas, é indispensável que conheça mais sobre elas também e saiba qual a versão da Bíblia mais confiável e mais fiel ao texto original.
Seria meio óbvio entender que os manuscritos bíblicos mais antigos são os mais próximos ao Novo Testamento original grego, já que manuscritos do Texto Crítico foram encontrados ao longo da história em um considerável estado de conservação, isto é, ainda legíveis.
Mas por que estes manuscritos foram encontrados guardados em vasos de barro, por exemplo, e, por isso, conservados?
Eles poderiam ser considerados pelas igrejas como documentos valiosos e foram guardados para manter sua preservação, ou foram descartados e guardados porque eram ruins ou possuíam algo errado em seu conteúdo?
Entretanto, também podemos considerar que os manuscritos do Texto Recebido/majoritário seriam os mais fiéis ao Novo Testamento original grego, e por isso foram de tal forma utilizados pelas igrejas dos primeiros séculos até se desgastarem completamente, por isso não temos cópias tão antigas dos mesmos.
Não temos cópias tão antigas dos manuscritos do Texto Majoritário, mas temos cópias, digamos, mais recentes, porém fiéis ao que foi escrito pelos apóstolos e discípulos às igrejas/cristãos.

Em resumo, o Texto Crítico é baseado nos manuscritos mais antigos do Novo Testamento grego, enquanto que o Texto Recebido é baseado na grande maioria dos manuscritos mais utilizados.
Como um exemplo, a maioria das traduções da bíblia da Sociedade Bíblica do Brasil se baseiam no Texto Crítico, exceto a Almeida Revista e Corrigida (veremos informações mais detalhadas adiante).

Mais detalhes sobre manuscritos do Texto Recebido
Algumas traduções da Bíblia [falando sobre Novo Testamento] foram traduzidas à partir de um conjunto de mais de 5000 manuscritos chamados de Texto Recebido.
Como vimos, estes manuscritos em grego foram muito utilizados pelas igrejas e os cristãos nos séculos 16, 17 e anteriores, e serviram de base para muitas traduções da Bíblia no Novo Testamento, como a própria Bíblia de Lutero, de Tyndale e do rei James (ou rei Tiago, o famoso King James).
Por terem um texto do Novo Testamento mais confiável, mais completo e com mais concordâncias em quase 100% dos textos, eles foram tão utilizados que ficaram gastos com o tempo e muitos já não existem mais.
As versões da bíblia em português que usaram o Texto Recebido como base para sua tradução são: ACF (Almeida Corrigida Fiel), ARC (Almeida Revista e Corrigida), e KJF (King James Fiel – a versão oficial da Bíblia do rei James no inglês. A tradução para português é lançamento de Janeiro de 2017 no Brasil).

Mais detalhes sobre manuscritos do Texto Crítico
O termo Texto Crítico refere-se ao texto do Novo Testamento que foi submetido aos procedimentos da crítica textual. Isto quer dizer que para que os textos contidos nos manuscritos do Novo Testamento fossem aceitos como verdadeiros eles tinham que se encaixar dentro de alguns critérios.
Critérios estes que são rejeitados por vários cristãos tradutores da Bíblia ao longo da história, pois alegam que não há boas intenções nisso; alguns consideram até que há manipulação das Escrituras onde coloca-se e omite-se o que for conveniente.
Muitos problemas encontrados nos manuscritos do Texto Crítico atacam principalmente a divindade de CRISTO e a existência da Trindade, como você verá mais adiante neste estudo aqui.
Texto Crítico também é conhecido como Texto Minoritário, pois ele é baseado na minoria dos manuscritos do Novo Testamento que existem até hoje, como você leu mais acima. Alguns deles são tão antigos que são datados do segundo século depois de Cristo.
Os exemplares mais destacados do Texto Crítico são o códice Sinaiticus, também chamado de Aleph (Achado em meados do século XIX, abandonado em um monastério perto do monte Sinai), e o códice Vaticanus, também chamado de B (Achado em meados do século XV, nas prateleiras de uma biblioteca do Vaticano)

Como vimos mais acima, os manuscritos do Texto Crítico representam uma minoria dos manuscritos bíblicos, aproximadamente 5% do total de mais de 5000.
Mas o importante é que não podemos deixar de notar as diversas faltas que estes manuscritos trazem em si, e é justamente examinando essas faltas que saberemos até quanto podemos confiar nas traduções da Bíblia atuais que usaram estes manuscritos para serem escritas; e talvez você tenha em casa ao menos uma dessas traduções, então que tal conhecê-las melhor?!
Por causa destas faltas muitas comunidades cristãs dos primeiros séculos d.C. não utilizaram tais manuscritos.

9 Razões porque os manuscritos do Texto Crítico foram rejeitados por muitas comunidades cristãs ao longo da história.
  1. Porque não concordam com a vasta maioria dos manuscritos;
  2. Porque não concordam entre si;
  3. Porque não concordam com a vasta maioria das citações de trechos do NT pelos pais da igreja dos primeiros 4 séculos;
  4. Porque não concordam com as traduções do NT, 2 séculos antes de sua data, feitas para outras três línguas;
  5. Porque o final do Evangelho segundo Marcos foi omitido no Códice Sinaiticus através de uma falsificação vergonhosa (Wilbur Pickering). O códice Vaticanus deixou Marcos 16.9-20 simplesmente de fora. No seu lugar há um espaço completamente em branco e da extensão dos versículos 9 a 20. O capítulo 16 de Marcos se encontra em 622 dos mais de 5000 manuscritos. O final de Marcos aparece em 620 destes. Só os códices Sinaiticus e Vaticanus o omitem. Mas teima-se que estes são os mais velhos e mais fiéis ao texto original.
  6. Porque o códice Sinaiticus sofreu mais de 14000 correções sobre suas páginas;
  7. Porque o Sinaiticus contém mais dois livros apócrifos, “Os Pastores de Hermas” e “A Carta de Barnabé”, anteprojeto do reino do Anticristo. Prova de que não eram utilizados pela igreja primitiva.
  8. Porque o códice Vaticanus não contém o livro de Apocalipse;
  9. Porque estão bem preservados por não terem sido usados, testemunho de que não eram fiéis ao texto original.
Fonte: Sola Scriptura.
Traduções da Bíblia Sagrada atuais que usam o Texto Crítico como base são: NVI (Nova Versão Internacional, ARA (Almeida Revista e Atualizada), KJA (King James Atualizada – que não é uma versão oficial do rei James em inglês, só pegaram o nome “emprestado”), NTLH (Nova Tradução na Linguagem de Hoje), NAA (Nova Almeida Atualizada), TNM (Tradução do Novo Mundo – a dos Testemunhas de Jeová), dentre outras.

Traduções da Bíblia também usam equivalência formal x equivalência dinâmica em sua construção
Outro fato muito importante a se observar no momento de considerar as traduções da bíblia é que existem dois métodos de tradução, um é chamado de equivalência formal, onde é transmitida palavra por palavra do idioma original para o idioma o qual está se traduzindo.
O outro estilo de tradução da bíblia é chamado de equivalência dinâmica. Neste método não é traduzida palavra por palavra do texto, mas é examinado o sentido do que aquele texto quer passar e assim traduze-se de forma mais adaptada, como se alguém estivesse montando uma paráfrase, por exemplo. Este é bem o caso da tradução na Nova Linguagem de Hoje (NTLH).
As traduções da Bíblia do Texto Recebido utilizam o método da equivalência formal, enquanto que as traduções que usam o Texto Crítico como base utilizam a equivalência dinâmica.
Pode haver um certo “perigo” no método de equivalência dinâmica, já que os tradutores não estão traduzindo palavra por palavra, mas estão escrevendo o sentido do que os textos bíblicos querem passar. Algumas interpretações podem acabar sendo do próprio tradutor(es), e não o que realmente está escrito no texto original.
Nas comparações dentro dos versículos bíblicos que você verá mais abaixo poderá constatar exemplos claros do que estou dizendo.
Examinando por este lado muitos cristãos preferem usar bíblias que fizeram uso da equivalência formal em sua tradução, como a consagrada bíblia em inglês do rei James (King James Version), por exemplo, e a estimada Almeida Revista e Corrigida em nosso português.
Agora chega de papo, porque finalmente chegou a hora de entrarmos a fundo nas traduções da Bíblia Sagrada em português e comparar diversos versículos, portanto, muita atenção agora, falou?!

Principais diferenças entre as versões da Bíblia que usam o Texto Recebido e o Texto Crítico como base para sua tradução

Uma boa parte do diálogo de Jesus com Paulo é omitido em Atos 9.4-6 nas versões da Bíblia baseados no Texto Crítico
Veja a comparação entre NVI e ARC abaixo.
(NVI) "Ele caiu por terra e ouviu uma voz que lhe dizia: “Saulo, Saulo, por que você me persegue?”Saulo perguntou: “Quem és tu, Senhor?”Ele respondeu: “Eu sou Jesus, a quem você persegue. Levante-se, entre na cidade; alguém dirá o que você deve fazer". (ARC) "E, caindo em terra, ouviu uma voz que lhe dizia: Saulo, Saulo, por que me persegues?E ele disse: Quem és, Senhor?E disse o Senhor: Eu sou Jesus, a quem tu persegues. Duro é para ti recalcitrar contra os aguilhões.E ele, tremendo e atônito, disse: Senhor, que queres que faça?E disse- lhe o Senhor: Levanta-te e entra na cidade, e lá te será dito o que te convém fazer."
Embora algumas partes deste mesmo diálogo sejam ditas por Paulo em Atos 26:12-18, se tivermos uma visão geral disso em toda a Bíblia (pois este “sumiço” também acontece em outras passagens), pode levar o leitor a refletir se alguns escritos da Bíblia são confiáveis ou não.

Outras diferenças dentro do livro de Atos
Atos 21.40 – Paulo recebe oportunidade de falar ao povo e dirige-se a eles falando hebraico (de acordo com o texto original grego).
Falam que foi em hebraico: NTLHARCARANAA (todas da Sociedade Bíblica do Brasil), KJF e a Almeida Corrigida Fiel (ACF). Falam que foi aramaico: NVI e KJA.
Essa falta acima não é lá urgente, mas à título de estudo bíblico isto pode fazer certa diferença; e já que o público para o qual Paulo dirigiu o seu discurso neste versículo eram judeus cultos e religiosos, analisando também a atitude deles de ficarem em silêncio logo assim que Paulo começou a falar, estima-se que só poderia ser a língua hebraica mesmo, que nem todos falavam, embora o aramaico tivesse semelhanças com ela.
Seria mais ou menos assim: os líderes judeus religiosos estavam perseguindo Paulo para mata-lo, que estava preso pelos soldados romanos, e estava um alvoroço no local. Mas quando Paulo fala em hebraico, eles fazem silêncio porque reconheceram que Paulo também era um líder religioso como eles (e ele era fariseu), o que indica que este ainda “recebeu algum crédito” pelo fato de saber falar hebraico.
Situação semelhante acontece também em outro episódio do livro de Atos dos apóstolos, veja abaixo.
Atos 26.14 no original grego JESUS fala com Paulo em língua hebraica, nas versões bíblicas que usam Texto Crítico como base dizem que Jesus lhe falou em aramaico (Veja na NVI e KJA)
Em Atos 22.9 é dito que os homens que caminhavam com Paulo para Damasco ouviram a voz de JESUS, mas não a entenderam, isto em algumas versões baseadas no texto crítico (veja na NVI e na KJA). Já nas versões baseadas no Texto Recebido informa que aqueles homens não ouviram a voz de JESUS (veja na KJF e na ACF).
Em Atos 8.37 a NVI traz uma nota de rodapé dizendo que muitos manuscritos não trazem o versículo 37, justamente o que o eunuco declara que crê que JESUS CRISTO é o FILHO de DEUS.
Na ARANTLH e na NAA esse versículo encontra-se em colchetes, mais uma vez gerando a dúvida, isso pode ser verdade ou não, pois não existe em alguns manuscritos. Compara por exemplo na ACF e na KJF.

JESUS CRISTO é o próprio DEUS, conforme João 1.1, ou ELE foi criado por DEUS?
Miqueias 5.2 – Nas versões extraídas do Texto Crítico falam  que “a origem de CRISTO está no passado distante, em tempos antigos” (veja na NVIARAARCNAAKJA). Isto nos leva a entender que CRISTO já existia antes mesmo da fundação do mundo, nos dias da eternidade. A questão é a seguinte, quem tem uma origem é como se tivesse sido criado de outro que, obviamente, lhe originou; entenda este raciocínio mais à frente.
A coisa fica pior ainda na NTLH e confunde ainda mais a interpretação deste texto, ela diz: “ELE será descendente de uma família que começou em tempos antigos, num passado muito distante.” (Seria isto consequência do método de tradução equivalência dinâmica?).
Nas versões traduzidas do Texto Recebido diz “cujas saídas tem sido desde os tempos antigos, desde os dias da eternidade.” (apenas na KJF e ACF); dá a entender que ELE saiu, ou que veio da eternidade, mas não teve origem alguma, ou seja, não foi criado, não se originou de alguém; ELE é auto-existente, o texto só diz que ELE surgiu e pronto. Isto concorda diretamente com o profeta Isaías quando disse que CRISTO é o PAI da eternidade, ou seja, ELE não veio da eternidade, mas é o próprio PAI dela (Isaías 9.6).
A princípio essa questão pode parecer de pouca importância, mas tanto desde os tempos antigos quanto agora em nossos dias muitas seitas e religiões tem tentado negar a divindade de CRISTO e sua unidade divina com o PAI, e esta pequena diferença nesse versículo abre uma brecha para mais um pretexto de dizer que CRISTO foi criado por Deus, como um anjo, por exemplo.

As versões da Bíblia baseadas no Texto Crítico parecem não concordar com a doutrina da Trindade e com a unidade divina de CRISTO com o PAI.
Há uma polêmica muito grande sobre a parte b de 1João 5.7 quando se compara as traduções da Bíblia baseadas no Texto Crítico com as traduções baseadas no Texto Recebido.
As versões mais modernas da Bíblia não dizem que o PAI, a PALAVRA (JESUS) e o ESPÍRITO são um, só dizem que “há três que dão testemunho” e nada mais. Veja este versículo completo nas versões KJFARC e ACF (Texto Recebido) e agora compare nas versões que usam o Texto Crítico: NAANVIKJANTLH e a versão dos Testemunhas de Jeová, a Tradução do Novo Mundo – TNM).
ARA traz o texto entre colchetes, dando a entender que pode ser verdade ou não, pois em alguns manuscritos existem e em outros não..
Em João 1.27 apenas as versões KJFACF e a ARC (clique para ler) trazem a afirmação de que JESUS já existia antes de João Batista, ou seja, isto confirma a divindade de CRISTO, pois como o Mestre nasceu de Maria 6 meses depois do nascimento de João Batista, o apóstolo João não poderia estar falando de Seu nascimento na carne, mas sim de Sua divindade e eternidade. Veja a omissão desta frase nas versões da bíblia NVINTLHARANAAKJA.
Em Lucas 2.33 José é chamado de pai de JESUS nas versões que usam Texto Crítico como base de tradução da Bíblia (Veja na ARANTLHNVIKJANAATNM); já nas versões KJFARC e ACF, que usam Texto Recebido como base, José não é chamado de pai de JESUS.
Conforme lemos em João 1.1 e Apocalipse 1.8 JESUS CRISTO não é só a PALAVRA de DEUS, mas como ELE é o próprio DEUS, o TODO-PODEROSO.
Ora, sabemos que Cristo foi gerado pelo Espírito Santo em Maria enquanto esta ainda era virgem, logo, ELE tem em SI a própria natureza divina. Então nos perguntamos porque as traduções da Bíblia baseadas no Texto Crítico chamam José de pai de Jesus, além de omitir diversos outros textos que falam sobre Sua divindade…
Em Romanos 14.10 a unidade de CRISTO com o PAI é mais uma vez negada/omitida, pois a frase todos compareceremos perante o tribunal de CRISTO é trocada por “todos compareceremos diante do tribunal de DEUS nas versões NVIKJAARANAANTLH.
Sempre se acreditou que após a nossa morte teremos que prestar contas a DEUS diante de nossos atos em Seu tribunal (Hebreus 9.27), mas quando se fala que compareceremos diante do tribunal de CRISTO estamos colocando CRISTO no lugar de DEUS PAI, JEOVÁ, ou no mínimo afirmando que ELE e o PAI, no final das contas, são os mesmos. Compare com as versões ARC e KJF, por exemplo.
1Timóteo 3.16 diz: E, sem dúvida alguma, grande é o mistério da piedade:  DEUS se manifestou em carne, foi justificado no ESPÍRITO, visto dos anjos, pregado aos gentios, crido no mundo, recebido acima na glória” (versões ACF e KJF, e KJA) [grifo meu].
As traduções da Bíblia baseadas no Texto Crítico trocam a palavra "DEUS" por "Aquele que" (a NVI em nota de rodapé), portanto põe em dúvida aqui uma das maiores provas da divindade de Cristo. Se juntar essa passagem com outras que fazem o mesmo acabaremos com muitas dúvidas por todo o NT.
Até mesmo a ARC faz essa troca. Veja também na ARA e NAA. A NVIainda traz a frase DEUS foi manifestado em corpo”, mas com uma nota de rodapé dizendo que muitos manuscritos dizem “aquele que”.
Sabemos que a Bíblia é a inerrante Palavra de DEUS, mas se acharmos contradições nEla, logo Ela estará errando e sua inspiração divina será colocada em dúvida. Não seria isto que o diabo quer? Qual o real motivo destas confusões nas traduções da Bíblia? Qual era a intenção real dos copistas de determinados manuscritos bíblicos?
Em 1João 4.3 na ARC, por exemplo, está escrito: “e todo espírito que não confessa que Jesus Cristo veio em carne não é de Deus”, assim também é na KJF e ACF (essa afirmação “que Jesus Cristo veio em carne” quer dizer que Ele já existia antes mesmo de ter nascido, e é o próprio Deus antes de vir ao mundo conforme concorda João 1.1 e 1Timóteo 3.16); agora leia-o na ARA, por exemplo: “e todo espírito que não confessa a Jesus não procede de Deus” (embora no versículo 2 seja dito que Ele veio em carne); seria isto uma tentativa de negar a divindade e a unidade divina de Jesus Cristo com o Pai, como em 1João 5.7? Qual o motivo destas frases simplesmente sumirem das traduções da Bíblia baseadas no Texto Crítico?
Seitas como as Testemunhas de Jeová acreditam que Jesus tinha apenas características de Deus, mas que não era Ele o próprio Deus Jeová (como declara o próprio Jesus em João 8.24, e o próprio Jeová em Jeremias 31.31-34; alguns outros ainda ousam afirmar que Jesus é um Deus menor que Jeová. Veja como João 1.1 foi modificado na Tradução Novo Mundo: “No princípio era a Palavra, e a Palavra estava com Deus, e a Palavra era um deus.”
Em João 1.3 as versões modernas da Bíblia dizem que Deus (Jeová) criou todas as coisas por meio da Palavra, isto é, de Jesus. Isto dá a entender que Jesus não foi diretamente o Deus Criador de todas as coisas, mas sim que Deus criou todas as coisas por intermédio de Cristo. Por causa disso não poderia ser o Cristo também uma criatura de Deus, conforme muitos dizem baseando-se em Colossenses 1.5?
Compare abaixo João 1.3 nas versões da Bíblia baseadas no texto crítico:
  • Por meio da Palavra, Deus fez todas as coisas, e nada do que existe foi feito sem ela.” NTLH
  • “Todas as coisas foram feitas por intermédio dele; sem ele, nada do que existe teria sido feito.” NVI
  • “Todas as coisas foram feitas por intermédio dele, e, sem ele, nada do que foi feito se fez.” ARA

Já nas versões da Bíblia baseadas no Texto Recebido (só pra lembrar que estes manuscritos somam mais de 90% dos mais de 5000) é informado que o próprio Jesus foi quem criou todas as coisas, veja na King James Fiel: “Todas as coisas foram feitas por ele, e sem ele nada do que foi feito se fez.”


Veja também na NAA (Nova Almeida Atualizada) que, embora seja uma versão moderna, concorda com as versões clássicas neste versículo: “Todas as coisas foram feitas por ele, e, sem ele, nada do que foi feito se fez.”
Clique para ver na ARC e na ACF.
Jesus não é chamado de Senhor em 1 Coríntios 15:47 nas traduções da Bíblia baseadas no Texto Crítico (ARANTLHNAANVIKJA), diferente das versões KJFACF e ARC.

Um ponto de vista sobre a aparente onipresença de Jesus Cristo, mesmo em corpo humano.
Subentendesse que João 7.34 é um versículo que fala da onipresença de Jesus.
Nas versões KJFACFARCARA e NAA Jesus diz “onde eu estou vocês não podem ir”; mesmo estando Ele aqui na terra, Ele diz que também estava em outro lugar, onde os seus ouvintes não poderiam achá-lo (seria este lugar no céu, onde o Pai está? E se for, como é possível Jesus estar aqui na terra e lá ao mesmo tempo? Será que Ele estava dizendo que Ele e o Pai são o mesmo?).
Nas versões NTLH, TNM e NVI essa onipresença de Jesus é “retirada de cena”, pois em lugar de “onde eu estou” está escrito “para onde eu vou” (não seria essa diferença causada pela método de tradução equivalência dinâmica, que estudamos mais acima?! Visto que não se traduz palavra por palavra do grego original), isto é, Jesus está aqui [na terra] não está no céu ainda, porque Ele ainda iria para lá.
Em João 3.13 Jesus afirma a Nicodemos que desceu do céu, mas que ao mesmo tempo está no céu. O que isto quer dizer? Seria Ele, mesmo em corpo humano, onipresente, como Deus é no Salmo 139?
Mas nas traduções da Bíblia baseadas no Texto Crítico este versículo foi traduzido de forma a omitir essa aparente onipresença de Cristo (como em João 7.34). Veja a omissão nas versões NVINTLHNAA. O contrário acontece nas versões ARCKJFKJA e ACF.

Algumas considerações sobre Apocalipse, capítulo 1.
Em Apocalipse 1.11, nas versões da Bíblia que usam Texto Crítico como base, incluindo a ARCJesus não é chamado de Alfa e Ômega, Primeiro e Último. Compare também na NTLHNVI e agora veja como é diferente na ACF e KJF.
Sutilmente em Apocalipse 1:8 as versões do texto crítico trazem “diz o Senhor Deus”, enquanto que nas versões do Texto Recebido trazem apenas “diz o Senhor”.
Ora, em Apocalipse 1 é claramente notório que quem fala a revelação a João é o Deus Todo Poderoso, o mesmo que revelou-se a Moisés; e quando escreve-se “diz o Senhor Deus” isto automaticamente nos remete a Ele; mas quando escreve-se “diz o Senhor”, remete-nos também a Cristo, pois o mesmo é chamado de Senhor em muitas passagens do NT e algumas do AT.
Diante disso perguntamo-nos, será mesmo que as traduções da Bíblia baseadas no Texto Crítico estão tentando com sutileza omitir a divindade de Jesus ou sua unidade com o Pai? Já que algumas pessoas estão espalhadas aí pela internet tentando tirar Jesus Cristo de cena em Apocalipse 1, assim como faz a Bíblia dos Testemunhas de Jeová, a Tradução do Novo Mundo; esta tira Jesus totalmente de cena em Apocalipse 1.8.
Em capítulos mais adiante no livro de Apocalipse um anjo falará com João, mas em todo cenário do capítulo 1 Jesus Cristo fala diretamente com ele, constatamos isso por causa do versículo 18.
Em todo o contexto do capítulo 1 Jesus apresenta-se a João como sendo o próprio Deus Todo Poderoso (versículo 8, também em 21.6 e 22.13).

Diversas outras diferenças entre as traduções bíblicas.
Colossenses 1.14, nas traduções da Bíblia baseadas no Texto Recebido, diz: “em quem temos a redenção pelo seu sangue, a saber, a remissão dos pecados”; Nas versões NVINTLHNAA e ARA é retirada a frase “pelo seu sangue”.
1Coríntios 5.7ARC – “Porque Cristo, nossa páscoa, foi sacrificado por nós.” A frase “por nós” foi retirada nas versões da Bíblia que usam o Texto Crítico como base. Veja na ARA e na NTLH, por exemplo.
O final de 1Coríntios 6.20 nas versões modernas não dizem que nosso corpo e espírito pertencem a Deus, veja abaixo uma comparação na KJF e na NVI.
  • KJF – “Porque fostes comprados por um preço; portanto, glorificai a Deus no vosso corpo, e no vosso espírito, os quais são de Deus.”
  • NVI – “Vocês foram comprados por alto preço. Portanto, glorifiquem a Deus com o seu próprio corpo.”
  • Veja também nas versões ARC e ACF (que trazem o versículo completo), e na ARANTLHNAAKJA (versículo incompleto).


Lucas 4.4 nas versões que utilizam Texto Crítico como base de tradução só vem escrito “nem só de pão viverá o homem” como resposta de Jesus a Satanás [é ocultada a parte que diz “mas de toda palavra de Deus”]
Todavia, o que falta em Lucas 4.4 está escrito em Mateus 4.4, mesmo nas versões do Texto Crítico. As versões que ocultam essa frase de Lucas 4.4 são NVIKJAARANTLHNAA, TNM.
Marcos 2:17 nas versões que usam o Texto Crítico diz apenas que Jesus veio para chamar os pecadores, mas nas versões do Texto Recebido dizem que ele veio chamar os pecadores AO ARREPENDIMENTO (doutrina da salvação).  Leia Marcos 2:17 nas versões KJF e ACF.
Isso dá base para as pessoas dizerem “venha para Deus como você é, não precisa mudar para servir a Deus; vinde a mim como estais, etc.”.Leia nas versões do Texto Crítico: NTLHNVIARANAA, TNM – a ARCtambém peca neste texto. A mesma frase também é retirada em Mateus 9.13 (compare na NVI e na ACF), porém é mantido em Lucas 5.32.
Romanos 8.1 nas versões do Texto Crítico diz apenas: “portanto nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus”. Ela omite a informação que há nas versões que usam Texto Recebido, que é: “que não andam segundo a carne, mas segundo o Espírito.” Leia nas versões do Texto Crítico NVINTLHARANAAKJA e TNM. Compare agora nas traduções da Bíblia baseadas no Texto Recebido KJFARCACF.
2Pedro 2.17 não diz que as trevas estão reservadas para semprepara determinados homens nas versões do Texto Crítico, a saber, NVINTLHARANAA.
Com tantas doutrinas falsas e espíritos enganadores em nossos dias (como foi profetizado em 1Timóteo 4.1, esta falta poderia dar abertura para sustentar doutrina do purgatório, por exemplo, onde é permitido interceder pelos mortos a fim de que ainda sejam salvos, visto que estão em trevas, mas não eternas). Compare nas traduções KJFARC e ACF.
Em Mateus 27.34 nas versões do Texto Crítico diz que foi dado vinho misturado com fel para Jesus beber – veja na NVI por exemplo – (apenas a KJA diz vinho com absinto; e dizem que absinto é um anestésico, como se quisessem amenizar o sofrimento de Jesus, sentindo pena dele); nas versões do Texto Recebido diz que foi vinagre com fel, veja na KJF.
1Timóteo 6.5 não diz para se afastar dos crentes falsos e gananciosos nas versões do Texto Crítico, veja na NVI e na ARA, por exemplo. Compare com a KJF e ARC.
A frase “não pereça”, dita por Jesus em João 3.15 é retirada nas versões NVINTLHARANAA, TNM; mas é mantida nas versões que usam o Texto Recebido como base: ACFKJF e ARC também.
As versões NTLHNAANVI e KJA omitem a frase “quão difícil é para aqueles que confiam nas riquezas entrar no reino dos céus”, dita em Marcos 10.24 e trazem apenas “é muito difícil entrar no Reino dos céus” (a ARA trás a frase completa entre colchetes, mais uma vez deixando a dúvida: pode ser verdade isso que Jesus disse ou não, pois nem todos os manuscritos tem isso escrito). Agora compare na ARC, por exemplo.
As versões NVINAAARA chamam Jesus de “Deus unigênito em João 1.18, já nas versões ARCNTLHKJFKJA e ACF Ele é chamado de Filho Unigênito.
As versões NVI e NTLH omitem a frase “aquele que crê em mim tem e vida eterna” dita por Jesus, e colocam somente “aquele que crê”, em João 6.47.
Isso pode dar base para os falsos mestres convencerem as pessoas a crerem em qualquer coisa para que possam alcançar seus objetivos, ou a crer nas suas crendices/rituais/práticas religiosas para serem salvas, sem necessariamente crer em Cristo Salvador. Veja a diferença na KJF e na ARC, por exemplo.
Em Marcos 1.2, as versões KJANVINTLHARCARA e NAA afirmam que a profecia sobre João Batista foi dita pelo profeta Isaías, enquanto que as versões KJF e ACF (Texto Recebido) afirmam “como está escrito nos profetas”, pois essa profecia também é de Malaquias 3:1.
Em 2Samuel 21.19 as versões KJF e KJA afirmam que Elanã matou o irmão de Golias (na KJA ainda fala o nome dele, Lami), enquanto que na ACFNVIARCARANAA e NTLH, dizem que ele matou Golias (na NVI há uma nota de rodapé afirmando que na Septuaginta está escrito Lami, o irmão de Golias).
As versões NVIKJANTLHNAA e KJF não falam do pecado da glutonaria como na ARCARA e ACF nos textos em que esta palavra é trazida (Gálatas 5.21a, Romanos 13.13 (ARCKJF), Lucas 21.34 (ARCKJF).
A versão KJA é a única que não traz o versículo 16 de Gênesis 4 como nas outras versões (este versículo afirma que Caim se afastou da presença do Senhor e foi habitar na terra de Node e a KJA não traz essa informação. Compare na KJF).
1Pedro 4.1 – nas versões do Texto Crítico não dizem que Cristo sofreu por nós, mas simplesmente que ele sofreu (ver na NVINTLHNAAARAKJA), do contrário, nas versões de tradução do Texto Recebido, diz que Cristo sofreu no corpo por nós (ver na ARCKJFACF).

Algumas particularidades da tradução King James Fiel que achei até o momento.
Em Gênesis 3.5, na KJF, a serpente diz a Eva que quando esta comesse do fruto da árvore do meio do jardim ela seria conhecedora do bem e do mal, como deuses. Todas as outras versões da Bíblia abordadas aqui neste estudo dizem que ela seria como Deus. Leia na ARC e na NVI.
A King James Fiel é a única versão da Bíblia que diz com Deus todas as coisas são possíveis” em Mateus 19.26. As demais traduções da Bíblia dizem para Deus todas as coisas são possíveis”. Veja por exemplo na ARC e na NVI).
Me parece que a KJF dá um sentido mais forte na interpretação deste texto, ou seja, é necessário que estejamos na companhia de Deus, fazendo a vontade dele, para fazermos realizações impossíveis. O mesmo acontece em Lucas 1.37 e Marcos 10.27.
Em João 21.15-17 a Bíblia King James Fiel é a única em que Pedro fala para Jesus “Sim, Senhor; tu sabes que eu gosto muito de ti.” E não “Sim, Senhor, tu sabes que te amo” como nas outras versões (veja na ARC, por exemplo).
Como assim assembleia divina? Existem outros deuses? 
No contexto do Salmo 82, através do salmista, Deus está fazendo um apelo às pessoas ricas e poderosas, que ocupam posição de autoridade em sua nação, por causa do descaso deles para com os pobres e de sua aceitação às pessoas perversas.
Para descrever a arrogância e prepotência dos ricos, estes são chamados de deuses neste salmo por ocuparem posição de autoridade na sociedade e serem juízes.
Um grande problema que vemos neste salmo nas versões modernas está no versículo 1. As versões modernas dizem que “Deus se faz presente na congregação divina e julgando dentre os deuses.” Isto confunde totalmente a nossa mente nos fazendo pensar que podem existir outros deuses.
Nas versões clássicas como ARCACF e KJF diz que “Deus se faz presente na congregação dos poderosos, e analisando pelo contexto do salmo, isto nos dá o verdadeiro sentido do que ele quis passar para nós: Uma repreensão de Deus aos poderosos e um chamado para eles julgarem as causas dos pobres com justiça.

Outra modificação descarada do texto bíblico original dentro dos Salmos
O Salmo 116.15 é muito modificado nas versões que usam o Texto Crítico como base de tradução. Os tradutores mudaram totalmente o sentido do salmo, mas nas versões KJFACFARA e ARC são iguais.
Este salmo, nas versões modernas (vou chamar assim as versões mais atuais, do Texto Crítico), diz que Deus vê com pesar a morte de seus santos, já nas versões mais clássicas (do Texto Recebido e massorético– Antigo Testamento em hebraico), diz que a morte dos santos é preciosa (valiosa) aos olhos de Deus, é como uma coisa de grande valor, é gloriosa.
Não que Deus goste de ver o sofrimento, mas que Ele valoriza o sacrifício que seus santos fazem por Ele e os recebe com grande galardão no céu. Veja esses versículos nas versões NVI e NTLH, por exemplo e compare na ARC.
Nossa conclusão sobre estas diferenças nas traduções da Bíblia Sagrada (até o momento)
Com essas informações podemos concluir que, embora em algumas versões o que falta em um versículo pode ser completado em outros (com exceção das traduções das Testemunhas de Jeová, a TNM, e a versão Graça sobre Graça, que são totalmente hereges e modificadas/comentadas), notamos que as versões modernas da Bíblia Sagrada que temos hoje em mãos tem falta de muitas informações, ou algumas são trocadas/omitidas, por causa da fonte que usaram para sua tradução; porém mesmo assim podemos fazer uso delas na maioria de seus textos.
O bom obreiro e estudante fará uso de várias versões da Bíblia a fim de comunicar melhor ao público o que a mensagem divina quer nos dizer, sem no entanto fugir do que realmente foi escrito nos textos originais.
E depois de ler tudo isso talvez você se pergunte: “mas é realmente confiável acreditar na Bíblia Sagrada, visto que ela aparentemente sofreu várias alterações ao longo da história?”
A resposta é: sim! A Bíblia Sagrada é inspirada pelo Espírito Santo e totalmente confiável, embora muitos tenham empreendido modificar, adulterar, destruir ou omitir sua mensagem, Deus vela sobre sua Palavra para mantê-la fiel e imutável em toda a história da humanidade.
Toda Escritura é dada pela inspiração de Deus, e é proveitosa para doutrina, para repreender, para corrigir, para instruir em justiça” (2Timóteo 3.16 KJF)
 Enquanto Jesus orava por seus futuros discípulos em João 17.20, Ele já sabia que a Palavra de Deus iria chegar aos nossos dias, que poderíamos confiar nela e por meio dela conhecer a Jesus Cristo, nosso Senhor e Salvador, e assim crer nele para nossa salvação.


Da mesma forma, graças às descobertas dos manuscritos do Mar Morto no ano de 1940, em Qumran, podemos constatar como os manuscritos bíblicos eram fielmente escritos por copistas/escribas que zelavam pela preservação da Palavra de Deus.
O Professor Julio Trebolle Barrera, membro da equipe internacional de editores dos Rolos do Mar Morto, declarou: “O Rolo de Isaías [de Qumran] fornece prova irrefutável de que a transmissão do texto bíblico, durante um período de mais de mil anos pelas mãos de copistas judeus, foi extremamente fiel e cuidadosa.”
Devido a descobertas como essa acima, muitos tradutores da Bíblia acharam que deveriam ser feitas correções nos textos das Escrituras Sagradas para coincidirem com as novas descobertas de manuscritos, mas podemos, de certa forma, considerar problemático utilizar estes manuscritos do Texto Crítico para fazerem essas traduções da Bíblia, já que eles haviam sido pouco utilizados pelos cristãos antigos justamente por conterem informações não condizentes com a grande maioria dos manuscritos aceitos pelos cristãos.

A pergunta que não quer calar é: se tradutores da Bíblia sabiam que os manuscritos do Texto Crítico (ou texto minoritário, por se tratarem da menor parte dos manuscritos) tinham diversas faltas e discordâncias entre si, por que mesmo assim prosseguiram em usá-los como base para as novas traduções da Bíblia Sagrada?
Eles estariam apenas considerando que por serem mais antigos seriam mais fiéis ao texto original grego ou havia outro motivo?
Essa é uma pergunta difícil de responder, mas, visto que a maioria das faltas atacam a divindade de Cristo e a Trindade, é de se ficar com uma pulga atrás da orelha. Pois mesmo no tempo dos apóstolos a divindade de Cristo era atacada por certos grupos de judeus religiosos e outras seitas (basta estudar o contexto da primeira carta do apóstolo João).
“Amados, não creiais em todo o espírito, mas provai se os espíritos são de Deus, porque muitos falsos profetas têm aparecido no mundo.
Nisto conhecereis o Espírito de Deus: Todo o espírito que confessa que Jesus Cristo veio em carne é de Deus.
E todo o espírito que não confessa que Jesus Cristo veio em carne não é de Deus; mas este é o espírito do anticristo, do qual já ouvistes que há de vir, e já agora está no mundo.” (1João 4.1-3 KJF)
Não te parece também que o apóstolo João está combatendo algumas linhas de pensamento hereges com as palavras que disse acima?
Me preocupa usarmos certos textos nessas versões modernas da Bíblia em nossas igrejas e para ensinarmos a Palavra, pois por causa da discordância dos textos pode gerar confusão na mente de quem lê com atenção as Escrituras.
As versões mais modernas da Bíblia como a NVI, NAA e NTLH, por exemplo, tem um português mais atual e mais fácil de se entender, uma leitura menos cansativa do que na Almeida Revista e Corrigida, por exemplo.
Portanto, na minha opinião, é interessante usar as versões modernas nos versículos que estão em concordância com as traduções da bíblia clássicas, que são baseadas no Texto Recebido.

De toda forma, ficamos com mais uma “pulga atrás da orelha”, pois por que será que, mesmo sabendo dessas discordâncias, essas versões modernas estão cada vez mais sobressaindo na frente das mais antigas como ARC e ACF (já que a KJF é lançamento de 2017 no Brasil)?
Seria somente pelo fato de elas terem um português mais atual e “descolado” (como é o caso da NTLH)? Precisamos ficar atentos!
O intuito de Satanás é plantar todo tipo de mentira, engano e confusão no meio da igreja de Cristo e dos ensinamentos da Bíblia Sagrada, tornando-os confusos, controversos e não confiáveis, trazendo à tona a incredulidade devido à suposta falta de credibilidade na Bíblia; e de que modo ele pode fazer melhor isso, se não enganando com mentiras que parecem verdades? Com seitas religiosas que tem toda aparência de verdadeira e uma boa persuasãoconvencer as pessoas de suas doutrinas?
Nos quais o deus deste século cegou os entendimentos dos incrédulos, para que lhes não resplandeça a luz do evangelho da glória de Cristo, que é a imagem de Deus.” (2Coríntios 4.4 ACF)
Lembremo-nos que Satanás induz o ser humano ao erro, mas quem põe em prática o erro em si somos nós mesmos.
Por acaso ele forçou Eva a comer do fruto da árvore do meio do jardim? É óbvio que não! Ele induziu Eva a comê-lo. Ela poderia ter negado e o repreendido, mas infelizmente lhe deu ouvidos e praticou a desobediência e o pecado.
Logo, concluo com isto que falsos mestres e seitas religiosas são induzidas pelo mesmo satanás a introduzirem suas doutrinas enganosas nas igrejas e nos corações das pessoas, para conduzi-los ao erro, ao engano e à confusão, com toda sutileza.
O propósito é fazer que muitos aprendam errado e assim ensinem errado também, dessa forma os falsos ensinos e os enganos teológicos vão se alastrando com muita facilidade, já que o próprio ser humano carrega consigo a preguiça de estudar e entender certas coisas mais a fundo.
Por fim, deixe seu comentário aqui no final desta página, compartilhe seus conhecimentos e dê suas opiniões sobre tudo que foi discorrido aqui.
Mas, ainda que nós mesmos ou um anjo do céu vos anuncie outro evangelho além do que já vos tenho anunciado, seja anátema. Assim, como já vo-lo dissemos, agora de novo também vo-lo digo.Se alguém vos anunciar outro evangelho além do que já recebestes, seja anátema.” (Gálatas 1.8-9 ACF)
Principais fontes do estudo: WikipediaSolascripturablog Verdade Cristã, Canal Nascido de Novo.

BÍBLIA SE ENSINA

.
[52620]